segunda-feira, 29 de março de 2010


♥ Ausência♥

Deixarei que morra em mim o desejo de amar teus olhos que são doces
Porque nada poderei te dar senão a mágoa que vem no meu peito.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como luz e vida.
Sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz...
Não te quero ter, porque ao meu ver tudo está terminado...
Para que eu possa levar uma gôta de orvalho desta terra que ficou
Sobre a minha carne como uma dor do passado.
Eu o deixarei...você irá e encostará a tua face em outra face...
Teu corpo em outro corpo...
Teus dedos enlaçarão outros dedos e você desabrochará pela madrugada...
Por que?
Porque eu encostei minha face na tua face...
Meus dedos em seus dedos no íntimo da noite...
E eu, trouxe a essência do teu abondono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nas portas mais silenciosas
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das estrelas...
Todos serão tua voz presente...
Tua voz ausênte...
Tua voz serenizada...
Postar um comentário